São José da Coroa Grande recebe Tenda Literária Cepe

  • 10 de março de 2020
  • Comentário: 0
  • Notícias

Município estreia calendário 2020 do Circuito Cultural de Pernambuco com programação gratuita, de 12 a 14 de março, no Centro da cidade

O município de São José da Coroa Grande, Zona da Mata Sul do Estado, distante 123 quilômetros do Recife, recebe seu primeiro evento literário nesta semana, entre os dias 12 e 14 de março. A iniciativa é do Circuito Cultural de Pernambuco – realizado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), com apoio das secretarias de Cultura/Fundarpe, Educação e curadoria da Fundação Gilberto Freyre. Com programação gratuita e voltada para todos os públicos, a Tenda Literária de São José da Coroa Grande será montada na Praça Constantino Gomes, Centro da cidade, levando literatura, cinema, oficinas e atrações artísticas para a população. A prefeitura do município é parceira da iniciativa.

A programação da Tenda Literária de São José da Coroa Grande, que dá início à edição 2020 do Circuito Cultural de Pernambuco, foi detalhada em coletiva de imprensa que aconteceu no Engenho Morim, um dos bens históricos do município. Participaram do encontro o presidente da Cepe, Ricardo Leitão; o prefeito Jaziel (Pel) Lages, o secretário municipal de Turismo, Sérgio Aroucha; a secretária municipal de Educação, Rosilda Silva, e a curadora do circuito, Jamille Barbosa.

Ricardo Leitão, destaca o objetivo maior do circuito, estimular o diálogo entre a cultura local e a representada na programação. “Em todo o Brasil, apenas Pernambuco possui uma iniciativa semelhante à do circuito, assegurando eventos literários em todas as regiões do Estado. Esperamos que a Tenda Literária de São José da Coroa Grande obtenha tamanho êxito que ano que vem se transforme em uma feira”, declarou Leitão. Já a curadora do circuito, Jamille Barbosa, destacou o cuidado na montagem das programações, “no sentido de reforçar o diálogo entre literatura e outras expressões artísticas”, pontuou. O prefeito do município, Pel Lages, endossou a importância do evento para a cidade: “É uma oportunidade única de estimular os saberes e a leitura, principalmente entre os jovens”.

O Circuito Cultural de Pernambuco – que tem como homenageado o escritor João Cabral de Melo Neto, e até dezembro realizará 14 feiras literárias em todo o Estado – presta tributo, em São José da Coroa Grande, à Juliete do Carmo Carvalho, professora, poetisa e autora do hino da cidade. 

A programação da tenda pretende estabelecer o diálogo com os mais diversos públicos, direcionando um olhar especial para os jovens e professores das redes estadual e municipal – que terão participação efetiva no evento e nas oficinas propostas. Alunos farão apresentações culturais nas mais diversas linguagens: dança, música e poesia.

Entre as oficinas, destaque para a de “Direito Humano à Literatura: a experiência das bibliotecas comunitárias”, que propõe uma conversa a partir da experiência da Releitura – Bibliotecas Comunitárias em Rede, com atuação nas cidades do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes. “Nosso objetivo é debater e construir coletivamente propostas e ideias de bibliotecas comunitárias, principalmente na perspectiva da política pública, pois defendemos que a literatura é um direito de todos, assim como a educação e saúde”, destaca Yasmin Wink, uma das coordenadoras da articulação em atividade desde 2007 no Estado. Os participantes receberão orientações sobre desenvolvimento, gestão e trabalho em rede.

Quem visitar a tenda poderá participar também da oficina  “Degustação Literária”, proposta pela professora, escritora, cordelista e contadora de histórias Érica Montenegro. A proposta é fazer um mergulho nos mais diversos gêneros literários, permitindo uma experiência afetiva, de resgate pelo gosto da leitura e pela escrita literária.A tenda ainda contará com sessões de cinema voltadas tanto para o público infantil quanto adulto, com filmes de animação sobre personagens do folclore brasileiro, e documentários sobre nações indígenas de Pernambuco e comunidades do Recife. As crianças serão contempladas também com a participação do mágico Rodrigo Lima, que coloca muitas pitadas de humor para encantar a meninada. O mágico fará duas apresentações no evento. A primeira será às 16h, do dia 12, com show de mágica para toda a família. Num segundo momento, a partir das 18h30 ele vai ministrar a palestra motivacional O poder de um sorriso. A apresentação, voltada para pais e professores, visa transmitir de forma divertida conceitos que podem ajudar a modificar a percepção das pessoas em relação ao trabalho e suas conexões com o outro. Rodrigo Lima falará também sobre como a experiência com crianças transformou sua vida. 

Veja abaixo a programação:

Dia 12/03 (quinta-feira)

9h – Sessão de cinema
Além da lenda (Erickson Marinho e Bruno Antonio / 2018)

10h – Apresentação Ciranda e Poesia (Escola José Rodrigues – Mestre Zuza)

11h – Sessão de cinema
Pedrinho e a chuteira da sorte (Alisson Ricardo e Marcos França, 2018)

14h – Mostra de filmes Funcultura
Entremarés, de Anna Andrade (2018 / 17 min.)
Tempo Circular, de Graci Guarani (Documentário, 20 minutos, 2018, PE)
Enraizada, de Tiago Delácio (2018 / 8 min.)

15h – Apresentação de Violino (Erem Professor Carlos José Dias)

16h – Show do mágico Rodrigo Lima

18h30 – Palestra “Poder de um sorriso” com Rodrigo Lima

Dia 13/03 (sexta-feira)

9h – Sessão de cinema
Além da lenda (Erickson Marinho e Bruno Antonio / 2018)

10h – Apresentação de Dança com ritmos diversos (Escola Municipal Tereza Cristina)

11h – Sessão de cinema
Pedrinho e a chuteira da sorte (Alisson Ricardo e Marcos França, 2018)

14h – Mostra de filmes Funcultura
Entremarés, de Anna Andrade (2018 / 17 min.)
Tempo Circular, de Graci Guarani (Documentário, 20 minutos, 2018, PE)
Enraizada, de Tiago Delácio (2018 / 8 min.)

15h – Recital de poesia (Erem Professor Carlos José Dias)

16h – Apresentação do Tapete Voador

17h30 – Oficina “Direito Humano à Literatura: a experiência das bibliotecas comunitárias”

Dia 14/03 (sábado)

9h – Oficina “Degustação literária”, com a professora, escritora e cordelista Érica Montenegro.

14h – Sessão de cinema
Guerreiros da Rua (Erickson Marinho, 2018)

15h –Conversa “Ofício de escritor” com mediação de Tarcísio Pereira e participação dos escritores João Paulo Parisio e Juliete do Carmo Carvalho.

16h – Apresentação do grupo do Tapete Voador

17h – Apresentação do Pastoril municipal Maria Avani de Oliveira

18h – Apresentação cultural das escolas públicas

Serviço:
Tenda Literária de São José da Coroa Grande
Quando: 12 a 14 de março
Local: Praça Constantino Gomes, Centro
Horário: 9h às 19h (dias 12 e 13/03), 9h às 21h (14/03)
Programação totalmente gratuita

Sinopses dos filmes que serão exibidos:

Além da lenda, de Erickson Marinho e Bruno Antonio (2018, 45 min)
Série de animação que retrata com humor e aventura uma crise existencial dos principais personagens do folclore brasileiro.

Pedrinho e a chuteira da sorte, Alisson Ricardo e Marcos França (2018, 30 min.)
A série de animação “Pedrinho e a Chuteira da sorte” usa o esporte como pano de fundo para abordar assuntos comuns na pré-adolescência. Inspirada no livro homônimo do jornalista Marcelo Cavalcante, a animação conta a história de Pedrinho, um garoto de 11 anos apaixonado pelo esporte e que nutre uma amizade com a própria chuteira.

Guerreiros da Rua, Erickson Marinho (2018, 41 min.)
Quatro meninos brincam pelas ruas de sua comunidade imaginando missões, seres fantásticos e eles mesmos como guerreiros dotados de poderes especiais. Tendo a comunidade como cenário, tudo ao redor deles pode se tornar uma paisagem especial ou elemento importante da aventura. Cada brincadeira é um novo episódio da grande jornada dos amigos, que se dão a importante tarefa de proteger o seu bairro de um poderoso inimigo imaginário.

Entremarés, de Anna Andrade (2018 / 17 min.)
A Ilha de Deus fica situada numa grande reserva de estuário inserida no perímetro urbano da cidade do Recife. Está num dos maiores manguezais urbanos do mundo, entre os bairros da Imbiribeira e Pina, com aproximadamente 2 mil habitantes, que vivem cercados por água, palafitas e construções urbanas, e sobrevivem principalmente da pesca de camarão e sururu, pesca artesanal, e extração de insumos desse ecossistema. A comunidade passou por diversas melhorias no decorrer dos anos graças aos esforços de suas mulheres, que até hoje lutam por seus direitos e igualdade social para este território.
O filme traz o relato de três moradoras da Ilha, sobre suas vivências e relações com o espaço, com a atividade de pesca, e com a força entranhada nas águas do mangue deste local.

Tempo Circular, de Graci Guarani (Documentário, 20 minutos, 2018, PE)
Aborda o tempo na visão indígena na Nação Pankaru, em Pesqueira. “Um tempo não linear, que escuta o passado estando no presente e pensando no futuro. Em que os três estágios de tempo se comunicam com sabedoria, respeitando o ciclo natural das coisas”, diz a produtora, que reúne canções, dizeres da vida, com apelo de ancestralidade e paz.

Enraizada, de Tiago Delácio (2018 / 8 min.)
O documentário Enraizada vivencia a relação de Dona Olívia com a natureza. Desde os 14 anos, ela habita a Mata do Engenho Uchôa, um remanescente de Mata Atlântica de 172 hectares, dentro da cidade do Recife. Em 1979, teve início a construção de um condomínio residencial de luxo que desencadeou a luta os moradores do entorno e impediu a destruição da área. Em 1996, esta reserva foi desapropriada e se tornou uma área de proteção ambiental. Olívia resiste e vai todos os dias para a Mata ocupar o espaço de sua antiga casa.

Texto: Assessoria de Imprensa da Cepe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *