BLOG

Circuito Cultural encerra programação com debates sobre cordel e podcast

Circuito Cultural encerra programação com debates sobre cordel e podcast

A representatividade da mulher na literatura de cordel e o crescimento do podcast como plataforma e possibilidades de negócios são atrações deste domingo (11) no Circuito Cultural Digital de Pernambuco. Iniciativa da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) com curadoria da Fundação Gilberto Freyre, o evento é exclusivamente on-line, gratuito e para todas as idades. A segunda etapa do Circuito termina neste domingo, mas a programação retorna em novembro, com novas atividades.

Paola Tôrres é médica, escritora e cordelista

Para acompanhar as duas lives basta acessar o portal do Circuito (www.circuitoculturalpernambuco.com.br). A temática do cordel será conduzida pela médica, escritora, compositora e cordelista Paola Tôrres e pela escritora, poeta e cordelista Jarid Arraes, com mediação de Érica Montenegro, às 11h. Pernambucana radicada no Ceará há 25 anos, Paola Tôrres criou em 2019 a Cordelteca Maria das Neves Baptista Pimentel nas dependências da Universidade de Fortaleza (Unifor), onde é professora de medicina. Ela também leciona na Universidade Federal do Ceará.

 

De acordo com Paola Tôrres, a paraibana Maria das Neves Baptista Pimentel (1913-1994) foi a primeira mulher brasileira a publicar um cordel, mas teve de utilizar uma identidade masculina para poder fazê-lo. O folheto intitulado O violino do diabo ou o valor da honestidade, de 1938, estava assinado com o pseudônimo Altino Alagoano, nome do marido da cordelista. “Ela escreveu vários cordéis que eram vendidos na feira por seu marido. Morreu sem nunca ser reconhecida por seu inestimável papel na cena do cordel brasileiro”, declara a médica.

Jarid Arraes tem mais de 70 cordéis publicados

A cordelteca, diz ela, “tem o papel de elevar o cordel ao seu papel de destaque na Literatura e na Cultura Popular e também homenagear não só Maria das Neves, mas todas as mulheres cordelistas, que vem lutando por um reconhecimento do seus trabalhos e das suas obras.” Maria das Neves era filha do proprietário de uma das primeiras tipografias de cordel na Paraíba. Mas apenas na década de 1970 as mulheres conseguiram publicar os folhetos sem se esconder atrás de nomes de homem.

 

Paola Tôrres foi eleita em 2020 para a cadeira número 38 da Academia Brasileira de Literatura de Cordel (ABLC), antes ocupada pelo cantor, compositor e poeta Moraes Moreira, falecido em abril último. “Comecei a publicar cordel em 2010 com o objetivo de educar e sensibilizar pessoas; chamando atenção para os grandes temas e desafios da medicina”, informa. A poeta cearense Jarid Arraes mora em São Paulo e tem mais de 70 títulos publicados em literatura de cordel, entre eles Heroínas negras brasileiras em 15 cordéis.

 

PODCAST

 

O crescimento do podcast enquanto plataforma de fluição cultural e possibilidades de negócios é tema do bate-papo que vai acontecer às 15h. Participarão do debate a professora de comunicação social da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Cecília Almeida; e o gerente de Informações Estratégicas da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação da Prefeitura da Cidade do Recife, Guilherme Gatis. A mediação será do jornalista Renato Mota.

Cecília Almeida fala sobre crescimento do Podcast

De acordo com Cecília, integrante do grupo Obitel – Rede de Pesquisadores de ficção televisiva e do Observatório de mídia da UFPE, podcasts, assim como outros conteúdos digitais, podem ser consumidos sob demanda e preenchem uma lacuna de conteúdos específicos que as mídias de massa não atendem.

 

“O podcast é uma mídia bastante interessante para a experimentação e inovação no setor cultural. Como requer menos custo do que a produção de conteúdo audiovisual, tenho visto muita coisa surgindo – e até a volta de alguns gêneros que tinham desaparecido, como as radionovelas, por exemplo”, destaca Cecília Almeida.

 

Programação do domingo (11)

8h – Oficina

Oficina de literatura de cordel, com Mariane Bigio

9h – Senta, que lá vem história!

A história da mula-sem-cabeça (Além da Lenda) com Joanah Flor

10h – Apresentação cultural

O matuto, com Rapha Santacruz

11h – Bate-papo

A representatividade da mulher na literatura de cordel, com Jarid Arraes e Paola Tôrres e mediação de Érica Montenegro

12h – Lançamento

Um espião silenciado, de Raphael Alberti. Conversa entre o autor e o jornalista Vandeck Santiago

14h – Por dentro do livro

Osman e Hermilo: correspondências, com Anco Márcio Tenório de Oliveira e Wellington de Melo

15h – Bate-papo

O crescimento do podcast enquanto plataforma e possibilidades de negócios. Com a participação de Cecília Almeida e Guilherme Gatis e a mediação de Renato Mota

16h – Show Infantil

De conto a canto, com a Cia Meias Palavras

17h – Contação de história

A história da mula-sem-cabeça (Além da Lenda) com Joanah Flor.

18h – Cineminha

Vivi Lobo e o quarto mágico (Isabelle Santos e Edu MZ Camargo/2019)

19h – Sarau

Sarau musical Vozes da Mata Sul, com Anaíra Mahin, Rildo de Deus e Dennis Anderson

Texto: Assessoria de Imprensa Cepe

Compartilhar:

Deixe um comentário