BLOG

Criação literária e a poética de João Cabral de Melo Neto entre os destaques do Circuito desta 5ª feira

Criação literária e a poética de João Cabral de Melo Neto entre os destaques do Circuito desta 5ª feira

Uma imersão literária é o que promete o Circuito Cultural Digital de Pernambuco em sua programação desta quinta-feira (12). Reunindo nomes como os dos escritores Verônica Stigger, Sidney Rocha,  Antonio Carlos Secchin e Inez Cabral, o evento abre espaço para discutir processos de criação literária, experimentalismos na linguagem e o legado poético deixado por João Cabral de Melo Neto, o grande homenageado do Circuito. No mesmo dia, a Cepe Editora apresenta em análises três títulos de seu catálogo: Recife – Fotografias: 1986-2018, livro finalista do Prêmio Jabuti 2020, de autoria de Fred Jordão; Três homens chamados João, de Anna Maria César; e Viver de ver o verde mar, biografia de Geneton Moraes Neto escrita pelos jornalistas Ana Farache e Paulo Cunha.

 

Finalista do Prêmio Jabuti 2020 com o livro de contos Sombrio Ermo e Turvo (Editora Todavia, 2019), a escritora gaúcha Veronica Stigger é nome que desponta na literatura contemporânea. Com seu primeiro romance, Opisanie swiata (Cosac Naify, 2013), venceu os prêmios Machado de Assis, da Fundação Biblioteca Nacional (2013), o São Paulo de Literatura na categoria autor estreante (2014), o Açorianos de Literatura para Narrativas Longas (2014), arrebatando ainda o terceiro lugar do Prêmio Jabuti 2014. Em 2017, o livro Sul (Editora 34, 2016), que explora diversos gêneros (conto, poema narrativo e peça teatral), foi o grande vencedor do Jabuti na categoria Contos e Crônicas. Dona de uma escrita ficcional direta e experimental que transfigura a realidade, ela é invariavelmente apontada por críticos literários como uma das melhores escritoras brasileiras.

 

De São Paulo, Veronica Stigger conversará com o também escritor premiado Sidney Rocha, cearense radicado há mais de 30 anos em Pernambuco. O bate-papo Produção Literária e Escrita Criativa será às 11h com mediação da professora de Literatura Brasileira Manuela Travasso. Vencedor do Prêmio Osman Lins (1985) com o romance Sofia, uma ventania para dentro (livro de estreia) e do Prêmio Jabuti 2012 com o livro de contos O destino das metáforas, Sidney Rocha foi agraciado, em julho passado, com o Prêmio Literário Guerra Junqueiro, concedido pelo Freixo Festival Internacional de Literatura (Portugal), pelo conjunto de sua obra. Foi o único brasileiro entre os seis autores lusófonos homenageados. Acaba de lançar pela Iluminuras Flashes, título que ao lado de Fenaflor (2015) e A estética da indiferença (2018), integra a trilogia Cromane.

Há quase dez anos, Sidney Rocha vem se dedicando à militância cultural em defesa da leitura através de seus cursos de oficina literária, realizados por todo Brasil, sobretudo em escolas públicas. “É imprescindível estimular a leitura que permita uma autonomia intelectual para se pensar o mundo. Muitas vezes as pessoas conhecem livros, mas não sabem exatamente o que estão lendo. Se não tivermos bons leitores, jamais conseguiremos bons escritores”, avalia.

 

Outro destaque da programação desta quinta-feira será a live João Cabral: as edições e o centenário, às 17h, com imortal da Academia Brasileira de Letras, crítico literário, ensaísta e poeta carioca Antonio Carlos Secchin e a escritora Inez Cabral, filha  de João Cabral de Melo Neto. Considerado pelo próprio João Cabral o maior especialista de sua obra, Secchin lançou pela Cepe Editora, em agosto passado, edição ampliada e revisada do livro João Cabral de ponta a ponta, reunindo textos produzidos pelo poeta ao longo de quatro décadas, trazendo ainda material inédito.

 

Fechando a programação, às 20h, a cantora Gabi da Pele Preta participa ao lado do escritor e músico Alexandre Revoredo do sarau cultural Calçada Poesia. “O sarau comemora o meu trânsito afetivo-poético-musical entre o Agreste pernambucano – meu território mais íntimo – e o Brasil”, assegura a artista que é natural de Caruaru. Na proposta apresentada no circuito, Gabi declama e canta obras de Daniela Galdino, Fernanda Limão, Isadora Melo, Joana Terra, Ezter Liu, Caio Menezes, Pedro Bomba, César Monteiro, Isabela Moraes, Marco Polo, Juliano Holanda, Luiza Pessoa, Juliana Bicalho Mendes, Álefe Passarinho, João Euzé e de Alexandre Revoredo – criadores com vínculos (pessoais e afetivos) com o Agreste do Estado.

 

Veja abaixo a programação da quinta-feira (12):

8h30 – Ler, muito prazer!

Exibição de vídeos de experiências de leitura de crianças na primeira e segunda infância.

9h – Senta, que lá vem história!

Contação da história do livro O pedido de Clarice (Cepe), de Tadeu Pereira, com Érica Montenegro.

10h – Oficina Infantil Teatro para crianças

Com Dani Travassos.

11h – Bate-papo: Produção literária e escrita criativa

Participação dos escritores Sidney Rocha e Veronica Stigger com mediação da professora Manuela Travasso.

12h – Prazer de Ler!

Exibição de vídeos de experiências de leitura de jovens e adultos.

 13h – Circuito em conexão com a União Brasileira de Escritores.

 14h – Por dentro do livro

Processo de criação do livro Viver de ver o verde mar (Cepe), de Ana Farache e Paulo Cunha. Participação de Paulo Cunha e apresentação de Lula Portela.

 15h – Bate-papo: Fotografia e cotidiano

Participação de Fred Jordão, autor do livro Recife – Fotografias:1986-2018 (Cepe). Conversa entre o autor e o professor João Guilherme Peixoto.

16h – Apresentação infantil: Malassombros, contos do além Sertão. Com o Coletivo Teatro de Retalhos.

17h – Live “João Cabral: as edições e o centenário”

Participação dos escritores Antonio Carlos Secchin e Inez Cabral, filha de João Cabral de Melo Neto. Apresentação do crítico literário Peron Rios.

18h – Cineminha

Quando a chuva vem?, de Jefferson Batista

19h – Lançamento literário

Três homens chamados João (Cepe), de Anna Maria César. Conversa entre a autora e o jornalista Vandeck Santiago.

20h – Sarau Cultural: Calçada poesia

Com Gabi da Pele Preta e Alexandre Revoredo.

Compartilhar:

Deixe um comentário